O real trintou

A moeda que marcou o início da estabilidade econômica do Brasil completa 30 anos. Entenda o que seu sucesso significa para a vida financeira dos brasileiros
4 de junho de 2024 em Edições Impressas, Nacional

Você provavelmente não tem idade para se lembrar, mas a estabilidade econômica é relativamente recente no Brasil. Ela completará 30 anos, no dia 1º de julho. Essa data marcou o lançamento do real como moeda brasileira.

A virada da moeda não aconteceu do dia para a noite, ela foi planejada com um ano de antecedência e foi sendo colocada em prática aos poucos. Segundo especialistas, essa foi uma das principais razões para que o Plano Real — nome dado para o conjunto de medidas para viabilizar a adoção da nova moeda — conseguisse atingir seu maior objetivo: controlar a hiperinflação e promover a estabilidade econômica.

Antes do Real, outros seis planos econômicos tentaram esse feito, sem sucesso. “Os anteriores eram anunciados tarde da noite e passavam a valer na manhã seguinte, ninguém tinha tempo para se preparar”, diz Rodolfo Olivo, professor da FIA Business School. Além da mudança abrupta da moeda, os antecessores do Plano Real adotaram medidas ineficazes, como o congelamento dos preços nas prateleiras e até o confisco da poupança dos brasileiros.

Como era o Brasil pré-Real

Antes da criação do Plano Real, a hiperinflação dominava o país. O índice chegou a atingir 2.400% em 12 meses. A título de comparação, a inflação de 2023, calculada pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), foi de 4,62%.

Na prática, a inflação estratosférica significava mudança de preço de produtos e serviços diariamente. Os supermercados tinham funcionários responsáveis por remarcar o preço dos itens todas as noites.

Para os consumidores, a desvalorização do dinheiro era cruel. O salário recebido no começo do mês perdia valor: no fim do mês, a mesma quantia já não dava para comprar a mesma quantidade de alimentos. Para amenizar essa situação, foi criado um dispositivo chamado gatilho salarial. Toda vez que a inflação passava de 20%, os salários eram obrigatoriamente reajustados para tentar proteger o poder de compra do trabalhador.

Como funcionou a mudança da moeda

Em 1993, teve início o planejamento das mudanças. Parte da equipe econômica do governo que criou o Plano Real já havia participado de outras tentativas e aprendido o que não funcionava, como congelamento de preços e troca repentina da moeda. Decidiu-se pela implantação do real em etapas.

O PRIMEIRO PASSO foi a adoção de uma moeda intermediária, chamada cruzeiro real, em agosto de 1993, para tornar as transações financeiras mais viáveis, diminuindo o número de zeros nas cédulas e nas caixas registradoras. Um cruzeiro real equivalia a mil cruzeiros, a moeda antecessora.

– EM SEGUIDA, foi estabelecida uma espécie de moeda virtual, que serviu para a transição do cruzeiro real para o real. Assim, no dia 1º de março de 1994, passou a funcionar a Unidade Real de Valor (URV). O preço dos produtos e os salários eram informados em URV, mas pagos com cruzeiro real.

– O VALOR DA URV era um dólar e, todos os dias, o equivalente em cruzeiros reais era atualizado e divulgado pelos veículos de comunicação. “A URV foi uma criação dos economistas Persio Arida e André Lara Resende que permitiu a transição da moeda sem traumas”, afirma Olivo.

– NO SEU PRIMEIRO DIA, a URV valia 647,50 cruzeiros reais. No último, dia 30 de junho, custava 2.750 cruzeiros reais. Na manhã seguinte, em 1º de julho, uma URV passou a valer um real, que estava cotado a um dólar.

Os benefícios do Real

CONTROLE DA INFLAÇÃO. Em junho de 1994, a inflação mensal medida pelo IPCA foi de 47,5%. Em julho, primeiro mês do Real, ficou em 6,8%, e seguiu caindo, mantendo-se abaixo de 1% em agosto de 1995 e sob controle até hoje. Em 1998, os preços avançaram 1,65%, a menor inflação anual registrada.

PODER DE COMPRA. O controle da inflação gerou estabilidade econômica, que, por sua vez, garantiu a manutenção do poder de compra dos consumidores, o que é importante principalmente para os mais pobres, que passam a ter a chance de controlar a vida financeira e até de investir.

CULTURA DE INVESTIMENTOS. Tão valiosa para a independência financeira, a cultura de investimentos só surgiu graças à estabilidade econômica. Nos tempos da hiperinflação não existiam investimentos de longo prazo, porque não havia confiança na economia do país. “A estabilidade foi uma grande conquista institucional do Brasil que ajudou toda a população”, conclui o professor da FIA.

Curiosidades sobre o Plano Real

– Com um real era possível comprar um quilo de frango, o que fez a ave virar símbolo do plano econômico.

– As famílias mais pobres puderam incrementar a lista de compras, o que fez a venda de iogurte aumentar 86%, por exemplo.

– O valor do salário mínimo antes do Real estava em 42.829 cruzeiros reais, segundo a Advanced Financial Network (ADVFN). Quando foi convertido para real, passou a valer 64,79 reais.

– Em outubro de 1994, o dólar chegou à sua cotação mais baixa em relação ao real. Um dólar equivalia a 0,83 centavos de real.

– A cédula de um real deixou de ser impressa em 2005, sendo substituída por uma moeda de mesmo valor.

 Menina com celular. Foto criada por diana.grytsku - br.freepik.com

Já tem cadastro?

Acesse!

Não tem cadastro?

Assine!